Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

POLÍCIA CIVIL APREENDE COMPUTADORES DE VEREADOR SUSPEITO DE COMANDAR ATAQUES À JUÍZA - Rádio Itajubá

Fale conosco via Whatsapp: +55 35 99120-4002

No comando: Misturadão

Das às

No comando: Super Show da Manhã

Das 6:00 às 12:00

No comando: Paradão Sertanejo com Luiz Bacana

Das 7:00 às 8:00

No comando: Revista da Manhã

Das 8:00 às 10:00

No comando: Brasileiraço

Das 00:00 às 01:00

No comando: Santa Missa Soledade

Das 07:00 às 07:50

No comando: Expresso Dr. Bob

Das 10:00 às 11:00

No comando: Cantinho Sertanejo com Rosano

Das 10:00 às 12:00

No comando: Espaço Livre com a jornalista Elaine Romão

Das 11:00 às 12:00

No comando: A Voz da Verdade

Das 12:00 às 13:00

No comando: Show de Bola com Fabrício da Farmácia

Das 12:00 às 13:00

No comando: Deus é Fiel

Das 13:00 às 15:00

No comando: Calado Show

Das 13:00 às 15:00

No comando: A Verdade Liberta

Das 15:00 às 17:00

No comando: Chrame

Das 15:00 às 17:00

No comando: Unidos Pela Fé

Das 17:00 às 18:30

No comando: Programa Pé na Roça

Das 17:00 às 19:00

No comando: A Voz da Libertação

Das 20:00 às 20:30

No comando: FLASH BACK INTERNACIONAL

Das 20:30 às 21:00

No comando: Raridades

Das 22:00 às 23: 00

No comando: Romance

Das 23:00 às 00:00

POLÍCIA CIVIL APREENDE COMPUTADORES DE VEREADOR SUSPEITO DE COMANDAR ATAQUES À JUÍZA

A Polícia Civil apreendeu na manhã desta terça-feira (19), os computadores do vereador Renato Moraes (PSDB). Os policiais compareceram ao gabinete e à casa do parlamentar, onde apreenderam os equipamentos que deverão passar por perícia. A informação foi confirmada com exclusividade para a Rádio Itajubá no programa Revista da Manhã desta quarta-feira (20).

Moraes é suspeito de liderar os ataques à juíza Letícia Drumond, da 2ª Vara Cível da Comarca de Itajubá. Na quarta-feira passada (13), o vereador, junto de comerciantes e funcionários da prefeitura, participou de uma manifestação em frente ao Fórum Cível de Itajubá.

Em seguida, os manifestantes seguiram até a portaria do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), no bairro BPS. Nesse local, o vereador, em cima de uma viatura da Guarda Municipal, incentivou as pessoas a gritarem palavras contra à Promotoria de Justiça.

Os manifestantes também passaram em frente ao prédio onde mora a magistrada. No local, gritaram palavras de ordem contra a Justiça e soltaram fogos de artifício. A ação causou polêmica entre a Justiça, a OAB e a Associação dos Magistrados Mineiros, que consideraram os ataques uma forma de intimidação ao trabalho da juíza.

O protesto pedia a volta do funcionamento de bares, restaurantes, academias e igrejas na cidade, que tinha sido autorizado por meio de decretos do prefeito Rodrigo Riera (MDB), no dia 8 de maio. A juíza acatou o pedido do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que solicitava o cancelamento dos decretos devido ao não cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). O termo previa a regulamentação do funcionamento desses locais.

Deixe seu comentário: